5 dicas para produtividade da colheita de cana mecanizada

Publicado em 27/04/2020 | Atualizado em 29/03/2021

Um dos maiores desafios da colheita de cana mecanizada está em reduzir as perdas e fazer com que o processo seja realmente eficiente para preservar a qualidade e rentabilidade da safra.

Afinal, mesmo que o produtor invista no preparo de solo, na aquisição de mudas sadias e no manejo, a colheita ainda pode representar prejuízos quando feita de forma incorreta.

De acordo com especialistas, estima-se que a colheita de cana mecanizada gera em torno de 10% perda em relação a produção total.

Para auxiliar na missão de otimizar essa etapa tão importante, preparamos algumas dicas principais que farão toda a diferença no lucro final para o produtor rural. Confira!

Colheita de Cana Mecanizada

Colheita de cana mecanizada: prós e contras

Uma coisa é fato, a colheita de cana mecanizada é a melhor alternativa para grandes áreas que precisam de agilidade para não perder o ponto da colheita. Ao substituir a mão de obra da colheita manual, é possível otimizar essa etapa e colher em muito menos tempo.

No entanto, existem muitos detalhes que precisam ser considerados na hora de avaliar esse tipo de colheita. Isso, porque, as consequências das máquinas de grande porte na área de plantio podem afetar significativamente a produtividade das futuras safras, como é possível constatar no gráfico abaixo.

Histórico Brasileiro de Produção de Cana-de-Açúcar

O aumento da colheita de cana mecanizada é diretamente proporcional a redução da produtividade média por hectare. Fato esse que está ligado com o pisoteio e corte dos implementos nas linhas de plantio, além de outros danos à soqueira.

Mas atenção produtor rural, esses danos não são inevitáveis. Na verdade, eles estão mais ligados à falta de condução correta da colheita do que ao uso das máquinas em si.

Por isso, aprender estratégias de otimização de colheita é o que você precisa para aproveitar ao máximo o potencial de sua safra sem comprometer as futuras!

 

5 dicas para otimizar sua colheita de cana mecanizada

Agora que você já entendeu melhor sobre os prós e contras da colheita de cana mecanizada, está na hora de conferir e colocar em práticas nossas dicas principais para reduzir danos, custos e outros problemas relacionados a esse método. Confira!

1. Primeiro as etapas e os cuidados com o pré-plantio

Se você parar para pensar na colheita apenas quando sua plantação já estiver no ponto para ser colhida, saiba que você já está atrasado. Isso, porque, os cuidados em relação ao pré-plantio são tão importantes para esse momento tão aguardado quanto qualquer outro.

Por isso, o planejamento da colheita deve sempre começar desde o planejamento para o plantio. Lembre-se bem disso na hora de preparar o seu calendário agrícola e gestão de produção!

Os pontos principais que podem influenciar na hora de manter a qualidade e reduzir perdas na colheita de cana mecanizada, são:

  • A escolha correta da área de plantio;
  • A escolha e definição correta da melhor época para o plantio;
  • Se atentar para particularidades da área e da cultura escolhida, como disponibilidade hídrica, temperatura, luz e radiação solar;
  • Planejamento total da etapa de colheita.

Na hora de definir o planejamento da colheita em seu calendário agrícola, é importante que o tempo para realizar essa etapa seja bem estudado, incluindo qualquer tipo de imprevisto ou barreira.

Se estiver chovendo muito nos dias que você pretendia colher, por exemplo, será preciso reagendar a entrada das máquinas na área para evitar problemas.

Sendo assim, o ideal é que esse calendário seja definido considerando essas particularidades climáticas ou administrativas, evitando que a colheita fique sobrecarregada em um curto período.

2. Saiba a hora certa de avançar para a colheita

Já partindo para uma fase mais avançada na produção, a escolha de quando realizar a colheita da cana é extremamente importante para evitar danos e perdas.

Em geral, a colheita da cana deve ser feita quando a planta atingir o seu teor máximo de açúcar, que é revelado pelo Brix através de um refratômetro.

Refratômetro

Para descobrir o Brix, você deverá calcular a média dos resultados apresentados para cada parte da cana: base, meio e ponta. Dessa forma, a colheita deve acontecer quando a média desses resultados for maior que 18.

Já para saber qual o índice de maturação da cana, basta dividir o Brix da ponta do colmo pelo Brix da base, e multiplicar por 100. Desse modo, a colheita deve ser realizada quando o Brix for próximo a 1.

Essa maturação pode variar dependendo da variedade de cana plantada, da região e do tipo de sistema de cultivo adotado em sua área. No Brasil, o plantio da cana se divide em três sistemas, são eles:

  • Sistema de ano e meio – plantio entre janeiro e março e colheita de 16 a 18 meses depois;
  • Sistema de ano – plantio entre outubro e novembro e colheita 12 meses depois;
  • Plantio de inverno.

3. Cuidados na regulagem de suas máquinas

Um dos pontos mais importantes que você deve se atentar na hora exata da colheita é a velocidade das máquinas colhedoras. E nesse momento, não adianta querer correr, pois velocidades acima do recomendado resultarão em prejuízos e perdas, reduzindo a rentabilidade da safra e o lucro final.

Ao usar uma velocidade ou configuração incorreta em seus maquinários, eles comprometerão a qualidade da soqueira. E o resultado? Suas próximas safras terão a produtividade completamente comprometida.

Por isso, siga estritamente as recomendações de velocidade de acordo com sua máquina, cultura e área de colheita.

4. Ajustes em relação ao tráfego das máquinas

Além da velocidade das máquinas, o tráfego das rodas com o peso dos implementos e tratores também pode comprometer as soqueiras e causar compactação demais na área.

Por isso, uma excelente dica para acabar com esse problema é ajustar suas máquinas para que elas façam exatamente o mesmo trajeto sempre que entrarem no terreno.

Reduzir as perdas na colheita de cana

As colhedoras devem sempre andar no mesmo local a cada entrada, evitando sempre que elas passem sobre a linhas de plantio. Para isso, você poderá usar tecnologias como GPS ou piloto automático – o que nos leva para a dica final.

5. Aposte e invista em tecnologia!

Existem hoje no mercado diversas opções de tecnologia que podem ajudar – e muito – a otimizar seus sistemas de produção e colheita. Para garantir um planejamento assertivo e eficiente do plantio à colheita, por exemplo, você pode investir em sistemas integrados de gestão, que facilitarão sua vida e ajudarão na hora de tomar as melhores decisões.

Além disso, a proposta do novo Agro 4.0 contempla o uso de máquinas modernas e inteligência artificial para aumentar a produtividade, reduzir perdas e promover a sustentabilidade de sua lavoura. O uso de GPS e sensores acoplados são exemplos de tecnologias que podem transformar o resultado de sua colheita de cana mecanizada, preservando as soqueiras, o solo e a qualidade de sua colheita.

 

Conclusão

A colheita mecanizada auxilia o produtor rural a agilizar o processo da colheita e economizar custos com mão-de-obra, porém, um dos grandes desafios é conseguir reduzir as perdas desse processo.

Aprender estratégias para a otimização da colheita, desde os cuidados com o pré-plantio até a colheita em si, irão ajudar a aproveitar o máximo potencial da safra.

Os cuidados com o pré-plantio são fundamentais para isso e podem influenciar diretamente na qualidade da colheita. Assim como saber a hora certa de colher, sabendo calcular eficientemente o Brix.

Outro ponto importante é a regulagem das máquinas, é essencial se atentar à velocidade da máquina e à regulamente das colhedoras.

Além disso, o tráfego delas é outro ponto de atenção, porém, ajustar as maquinas para fazer exatamente o mesmo trajeto no terreno pode resolver.

Por fim, aposte na tecnologia. O Agro 4.0 está chegando cada vez mais forte e com novas ferramentas para ajudar as fazendas a otimizares suas safras e, consequentemente, os lucros.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Amanda Campos
Amanda Campos
Sou Engenheira Agrônoma especialista em produção e marketing de conteúdo para o Agronegócio. Fundadora da Agro Content.
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.