Adubo para lavouras de cana-de-açúcar: dicas e recomendações

Publicado em 02/09/2020 | Atualizado em 31/03/2021

A cana-de-açúcar é uma das culturas de maior significância para o agronegócio brasileiro, por isso a necessidade que o solo esteja sempre em boas condições, valorizando a escolha do adubo correto.

De acordo com dados divulgados pela UNICA, o Brasil registrou a marca de 590,36 milhões de toneladas de material processado na safra de 2019/20, o que representa um aumento de cerca de 3% em comparação ao registrado na safra anterior.

Atualmente o Brasil é responsável por cerca de 40% da produção mundial de cana de açúcar. E ainda de acordo com a UNICA, a produção de 2020/21 pode superar o crescimento registrado 3% entre as últimas safras.

Essa tendência animadora de expansão e crescimento do setor também se deve ao fato de que o material produzido pelos produtores de cana brasileiros tem apresentado um aumento na qualidade da matéria-prima.

Para manter os bons índices e conseguir atender a demanda mundial, otimizar a produção e melhorar a produtividade em uma mesma área é essencial não só do ponto de vista econômico, mas também ambiental.

Nesse cenário, o uso correto de adubo e a execução dos tratos culturais são dois pilares para que a produtividade seja mantida a longo prazo, considerando que a cana é uma cultura semiperene e pode ter um ciclo médio de 6 anos de duração.

Para saber mais sobre como adubar corretamente sua lavoura e melhorar a rentabilidade e o valor de seu produto final, confira nossas dicas e recomendações na leitura a seguir!

Adubo na Cana-de-Açúcar

Recomendações de adubo para a cana-de-açúcar 

Por ter solos naturalmente pouco férteis e por ser um país agrícola, o Brasil depende fortemente da importação de insumos agrícolas, como fertilizantes e minerais para fabricação de adubo.

Essa dependência atrelada a alta do dólar faz com que o custo de produção suba consideravelmente para os produtores.

Isso porque as plantas precisam ser nutridas corretamente para que a produtividade esperada seja alcançada.

Para poder otimizar essa relação e comprar o adubo correto, conhecer as particularidades da cultura a ser implantada e ter uma boa gestão da lavoura são pontos fundamentais.

 

Tipos de adubo

A princípio os adubos são divididos em três categorias:

Adubos Minerais

Os adubos minerais sofrem maior influência do preço do dólar e da disponibilidade do mercado externo, fazendo com que eles sejam geralmente mais caros.

No entanto, eles são excelentes opções para quem precisa de resultados rápidos na lavoura, pois a assimulação pelas plantas nessa categoria acontece através de uma liberação rápida de nutrientes no solo.

Adubos Orgânicos

Os adubos orgânicos podem ser facilmente fabricados por indústrias ou pelos próprios produtores em suas propriedades.

Em resumo, eles são compostos por restos e resíduos animais ou vegetais e ajudam a melhorar a nutrição e a estrutura do solo, a umidade e a atividade de microorganismos vivos no ambiente.

Por outro lado, a produção em larga escala dos adubos orgânicos ainda é uma barreira.

Além disso, a quantidade de nutrientes presentes nesse tipo de fertilizante é geralmente mais baixa e com liberação lenta, sendo o adubo ideal para resultados a médio e longo prazo e principalmente para a conservação do solo.

Adubos Organominerais

O terceiro e último tipo, os adubos organominerais, são compostos por uma mistura de elementos minerais e orgânicos.

Sendo assim, ele pode apresentar características de ambos, como melhoria da estrutura e conservação do solo e nutrição das plantas, mas mantendo um nível mais lento de liberação de nutrientes pela alta quantidade de matéria orgânica.

Fonte: Emanuel Malai

Os adubos ainda podem ser classificados de acordo com sua composição: 

  • Simples: fonte de um ou mais nutrientes;
  • Mistura: mistura de dois ou mais adubos simples.

E também de acordo com o seu estado físico:

  • Pó;
  • Farelado;
  • Granulado;
  • Líquido.

 

Resumo das necessidades nutricionais da Cana-de-Açúcar

A exigência da lavoura de cana-de-açúcar dependerá da produtividade esperada e do ciclo em que a planta estiver. Em geral, a cana-planta apresenta uma demanda maior de nutrientes do que a cana-soca, pois apresenta um nível mais intenso de extração dos mesmos.

Por outro lado, a cana-planta se beneficia mais da mineralização do N orgânico no solo. Nesse cenário, a cana-soca precisará de uma maior quantidade de adubo nitrogenado para alcançar a mesma produtividade.

A extração de nitrogênio influencia diretamente na adubação correta da lavoura de cana-de-açúcar. Por isso, é importante avaliar por completo a gestão e o planejamento agrícola, pois essa variação pode ocorrer de região para região.

O nitrogênio deve ser oferecido em grandes quantidades, pois ajuda a aumentar a produtividade da lavoura e a produção de massa seca. Em geral, o pico de demanda da planta por esse nutriente acontece durante as fases de perfilhamento e máximo crescimento.

A necessidade de nitrogênio dependerá da variedade da cana e das reservas existentes no solo onde ela será/estará plantada. O estágio de crescimento e o plantio de leguminosas na entressafra também pode fazer com que essa necessidade varie.

O fósforo é importante no início do desenvolvimento da cana, para estimular o crescimento e desenvolvimento das raízes e o perfilhamento.

Em geral, o fósforo é aplicado no plantio ou logo após o plantio para cana-planta, mas também há estudos que revelam eficiência na aplicação em cada soqueira para o processo de rebrota da cana.

O potássio é ainda mais demandado pelas plantas de cana, sendo necessário oferecer quantidades ainda maiores do que as de nitrogênio. A fase em que a planta necessita de maiores doses de potássio é a de máximo crescimento.

Para favorecer o enraizamento e a resistência das células da planta, o cálcio também é necessário logo no início do desenvolvimento da cultura. Já o enxofre e o magnésio são demandados em fases mais tardias, influenciando diretamente na qualidade da cana.

Extração de Macronutrientes
Extração de Macronutrientes em Compartimentos

Conclusão

Para garantir um suprimento nutricional eficiente para sua lavoura de cana-de-açúcar, realizar as análises de solo para correção e adubação é primordial.

Ao conhecer melhor sua área, é possível saber como agir para preparar o solo para que a planta possa se desenvolver plenamente durante todas as suas fases e ao longo de todos os seus ciclos.

Por se tratar de uma planta semiperene, a cana-de-açúcar deve ser manejada de acordo com as suas reais necessidades de adubo e tratos culturais.

Desse modo, você consegue conservar o solo e as plantas para que a rebrota seja realizada com êxito e não gere perdas significativas nos próximos anos.

Contar com o suporte de um engenheiro agrônomo e ter um sistema de gestão atualizado e otimizado é a melhor forma de cuidar do seu negócio e tomar decisões assertivas em tempo hábil para alcançar a produtividade máxima de sua lavoura.

Por isso, não abra mão de contar com o suporte da CHBAGRO para saber quando e como agir para que sua safra seja um sucesso!

CHBAGRO - O único software completo para produtores rurais do Brasil.

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

O CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Amanda Campos
Amanda Campos
Sou Engenheira Agrônoma especialista em produção e marketing de conteúdo para o Agronegócio. Fundadora da Agro Content.
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.