Calcário Calcítico: o que é e como utilizar

Publicado em 20/04/2020

O Calcário Calcítico é um corretivo agrícola rico em carbonato, capaz de neutralizar a acidez do solo, melhorar suas propriedades químicas e favorecer a fertilidade do solo.

Esse tema ganha enorme importância quando consideramos que cerca de 70% dos solos cultivados no Brasil são excessivamente ácidos. Além disso, o preço desse insumo, que segue crescendo, pode tornar o empreendimento agrícola inviável.

Trator Arando a Terra

Da mesma forma que outros insumos dessa categoria, o que determina a qualidade do calcário calcítico é seu poder neutralizante. Neste artigo, falaremos o que você precisa saber a respeito de calcário calcítico e como avaliar se ele é de qualidade ou não.

 

O que é Calcário Calcítico?

Corretivos agrícolas são substâncias ricas em hidróxidos, carbonatos, óxidos, silicatos de cálcio ou magnésio. Portanto, o calcário calcítico é um corretivo rico em carbonato de cálcio (CaCo3). Ele se diferencia dos outros calcários pela quantidade de Magnésio (baixa) e Cálcio (alta) – por isso seu nome, “Calcítico”.

0 - 5% Mg = Calcítico
5 - 12% Mg = Magnesiano
> 12% Mg = Dolomítico
Fonte: Calagem

No caso do calcário calcítico, a molécula neutralizante é o carbonato de cálcio. Para entender como ele atua para neutralizar a acidez do solo, vamos lembrar da equação de balanço químico que caracteriza essa reação:

  • Dissolução e dissociação do calcário:

CaCO3(s) ↔ CaCO3(aq) + H2O ↔ Ca+2 + HCO3- + OH-

  • Neutralização da acidez ativa:

HCO3- + H+ ↔ H2CO3 ↔ H2O + CO2↑

OH- + H+ ↔ H2O

  • Neutralização do alumínio:

Al+3 + 3OH- ↔ Al(OH)3↓

  • Criação de cargas negativas e adsorção dos cátions:

MO-COOH + OH- ↔ MO-COO- + H2O

  • Observação: o Ca+2 é adsorvido pelas cargas negativas criadas.
Fonte: adaptado de UFSM

Como podemos ver, o carbonato de cálcio, em contato com a água, termina por liberar íons hidróxido, que neutralizam os íons hidrogênio livres (acidez do solo). Como consequência, tem-se o efeito-tampão da calagem e o consequente aumento do pH.

 

Quando é melhor usar o Calcário Calcítico?

Antes de fazer qualquer tipo de recomendação de aplicação de insumo agrícola, é essencial realizar a análise de solo. Da mesma forma que um médico faz exames de sangue para avaliar seu estado de saúde, um agrônomo ou engenheiro florestal irá avaliar as condições do solo por meio de seu estudo.

Dessa forma, além dos estudos de viabilidade econômica, deve-se observar principalmente as quantidades de cálcio e o tipo de espécie que se pretende implantar. Caso a espécie seja exigente em cálcio, isto é – não tenha condições de crescer caso esse nutriente não esteja presente – e o solo for pobre em cálcio, a aplicação de calcário calcítico pode ser a melhor saída. Note, neste exemplo de um laudo de análise de solo, que tanto o calcário calcítico quanto o dolomítico e o magnesiano fornecem cálcio, porém em concentrações menores.

análise de solo calagem incaper
Fonte: Incaper

Neste caso, as informações que irão embasar a decisão pela aplicação ou não de calcário calcítico – e de outros corretivos – são feitas conforme as espécies que se deseja cultivar e o sistema de manejo do solo que se irá adotar. Atualmente, as recomendações de calagem são feitas considerando-se, simultaneamente:

  • Diferentes valores de pH
  • Cálculo de saturação por bases
  • Saturação por alumínio

Veja um exemplo de laudo de análise química de solo:

Tabela Calcário

Fonte: Embrapa

A seguir, fornecemos um resumo da tolerância de algumas espécies agrícolas à acidez do solo.

Tolerância à Acidez do Solo
Fonte: adaptado de UFSM

 

Como aplicar o calcário no solo?

Corrigir a acidez é muito importante quando o assunto é melhoria de produtividade. Isso porque solos ácidos tornam nutrientes indisponíveis, mesmo que eles estejam presentes. Por isso, também, a forma de aplicação do calcário deve ser planejada corretamente.

Isso porque, caso não seja bem incorporado e aplicado na dosagem apropriada, o calcário pode ter um efeito tóxico e matar as plantas ou prejudicar seu crescimento. Dessa maneira, além da escolha de corretivos de boa qualidade, deve-se prestar atenção às metodologias de aplicação, bem como as recomendações de melhores práticas de operação. O que se busca sempre nessas operações de aplicação de corretivo é a uniformidade. Nesse sentido, dois elementos são de grande importância na análise e projeção de aplicação de correção do solo:

  1. Que equipamentos serão utilizados para a distribuição do calcário no solo?
  2. Qual a localização do calcário no campo?

Em suma, existem dois tipos de equipamento de aplicação de calcário no solo:

  • Distribuidores por gravidade
  • Distribuidores centrífugos

Cada um deles possui vantagens e desvantagens que devem ser estudadas antes da decisão final. É importante notar, também, que boa parte da eficiência em campo depende da habilidade do operador/tratorista e das orientações do agrônomo/engenheiro florestal de campo.

Ademais, quanto à localização da aplicação, podemos ter uma incorporação ou um espalhamento superficial. Novamente, essa recomendação depende da necessidade do empreendimento em questão. No caso de haver necessidade de incorporação, costuma ser feita utilizando-se uma ou mais metodologias de preparo de solo, tais como:

  • Escarificação ou Subsolagem
  • Lavração manual + gradagem
  • Apenas gradagem
  • Aplicação na linha de semeadura

Essa avaliação deve ser feita com bastante cuidado, devido ao alto custo operacional dessas atividades e o impacto sobre a estrutura do solo em função do seu revolvimento.

Por fim, a aplicação superficial é empregada quando não há necessidade de correção de camadas mais profundas do solo. A vantagem é o menor custo e a desvantagem é o risco da “supercalagem”, que favorece o aparecimento de doenças e outros problemas. Em quaisquer dos casos, o que se deseja é que o calcário entre em contato com a maior parte possível da camada arável do solo.

 

Conclusão

Assim, o calcário calcítico é um corretivo agrícola rico em carbonato de cálcio. A recomendação de aplicação depende da análise de vários fatores, tanto econômicos quanto técnicos. Consulte um agrônomo ou a Assistência Técnica Rural (Ater) de sua região para saber mais!

A propósito, nós também temos ótimos conteúdos sobre calagem! Acesse nossa base por aqui!

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Fernanda Desimon
Fernanda Desimon
Sou Engenheira Florestal pela Universidade Federal do Paraná e Pós Graduada em Recuperação de Áreas Degradadas pela Universidade Federal de Viçosa.

Artigos Relacionados

VOLTAR