Calcário no solo. Aumente a produtividade de sua lavoura

Publicado em 07/05/2020

A acidez do solo é um dos limitantes quando estamos nos referindo a produtividades altas, por isso a importância do calcário no solo.

Desta maneira, conhecer como os corretivos atuam no solo e como devemos manejá-los é uma ótima opção quando estamos pensando em eficiência de recursos.

Neste caso, hoje irei relatar sobre o calcário no solo e em como ele pode ser um ótimo aliado em sua produção. Ainda, irei mostrar como chegar nas doses adequadas para o seu solo.

Vamos lá!

Calcário no Solo

Porque os solos são ácidos?

A maioria dos solos brasileiros  apresentam-se de forma  ácida, com níveis tóxicos de alumínio ou de manganês e com baixos teores de cálcio e de magnésio.

Mas o que é a acidez? A acidez do solo consiste na quantidade de hidrogênio livre (H+) o que deve ser neutralizado com os ânions OH-.

Essa acidez é gerada por componentes ácidos, como fertilizantes nitrogenados e ácidos orgânicos. Mas também pode ter influência do material de origem do solo, precipitação, decomposição da matéria orgânica, vegetação nativa, tipo de cultura, profundidade do solo e inundação.

A acidez é tida através do pH, tratando como que solos mais ácidos são os que tem baixos valores de pH.

Valor do pH
Fonte: IPNI

E qual a interação de pH com produção? Bem, quando os solos estão ácidos há uma baixa disponibilidade e menor aproveitamento de alguns nutrientes essenciais e isso afeta significativamente nos resultados produtivos.

Mas então devemos alcalinizar o solo? Não, quando excedemos a faixa adequada limitamos outros nutrientes, principalmente os micronutrientes.

Fator pH nas Culturas
Fonte: GEAGRA

 

Porque corrigir a acidez?

Corrigir a acidez permite o aumento produtivo pois permite o aproveitamento mais eficiente dos fertilizantes!

Como o calcário no solo atua? Elevando o pH, promove-se o aumento da disponibilidade de alguns nutrientes e, ao mesmo tempo, a insolubilização de outros, considerados tóxicos para as plantas, como alumínio e manganês, e também promove o aumento dos teores de cálcio e de magnésio.

Benefícios do Calcário no Solo
Fonte: INPI

Os benefícios do calcário no solo estão a seguir:

  • Elevação do pH;
  •  Fornecimento de Ca e Mg;
  • Redução ou eliminação dos efeitos tóxicos do Al, Mn e Fe;
  • Aumento da disponibilidade e maior aproveitamento de N, K, Ca, Mg, S e Mo;
  • Aumento do potencial de resposta à adubação;
  • Maior atividade microbiana ( mineralização da matéria orgânica e fixação de N);
  • Melhoria nas propriedades físicas do solo, auxiliando no desenvolvimento das raízes e da planta;
  •  O desenvolvimento do sistema radicular aumenta a absorção de água e de nutrientes, permitindo à planta maior resistência à falta de água.

 

Determinando a necessidade de calcário no solo

A tomada de decisão quanto a necessidade de algo deve ser feita sempre se referenciando ao atual estado que se encontra e no solo isso também ocorre.

O atual estado do solo é feito através de análises químicas que nos permitirão informar se há ou não a demanda por calcário.

A necessidade de calcário no solo (NC) pode ser determinada por dois métodos, sendo eles: "Método de neutralização da acidez trocável e elevação dos teores de Ca e Mg trocáveis" e pelo "Método de saturação por bases".

A seguir detalho os dois:

Método de Neutralização do Al3+ e da elevação dos teores de Ca2++Mg2+

Este método enquadra tanto as características do solo assim como as exigências das culturas.

Neste, preocupa-se corrigir a acidez do solo levando em consideração a resposta da cultura a essa acidez e a capacidade tampão do solo (resistência em oscilar o seu pH). Ainda tem-se o foco de elevar a disponibilidade de Ca e Mg de acordo com as exigências das culturas.

Método de Neutralização

Onde:

Y: é um valor variável em função da capacidade tampão da acidez do solo, baseado na textura;

Tabela Calcário no Solo

mt: máxima saturação por Al3+ tolerada pela cultura (%);

Al3+: acidez trocável (cmolc/dm3);

t: CTC efetiva (cmolc/dm3);

X: valores requerido de Ca e Mg pelas culturas (valor tabelado de acordo com a cultura a qual trabalha, podem ser encontrados na quinta aproximação);

Ca2++Mg2+: teores de Ca e Ng trocáveis (cmolc/dm3).

Método da Saturação por Bases

Nesse método preocupa-se em corrigir a acidez associando a saturação por bases, desta forma ocorre a correção do solo pretendendo alcançar uma determinada porcentagem de saturação por bases.

Método da Saturação por Bases

Onde:

T: CTC a ph 7,0, ou seja, SB+(H + Al) (cmolc/dm3);

Ve: Saturação por bases atual no solo = 100 SB/T (%);

Va: Saturação desejada pela cultura (valor tabelado a depender da cultura trabalhada);

SB(soma de bases): Ca 2++ Mg2++K++Na+(cmolc/dm3).

 

Qual quantidade aplicar?

Estabelecida a sua necessidade de calcário no solo agora precisamos saber o quanto aplicar.

Mas a necessidade já não é a quantidade?

Ainda não, quando estabelecemos a necessidade não levamos em consideração a superfície coberta do terreno (SC, em %), a profundidade de incorporação (PF, em cm) e o poder relativo de neutralização total do calcário (PRNT, em %).

Cálculo da Quantidade de Calcário

Quando e como aplicar o calcário no solo

A eficácia da aplicação de um corretivo está relacionada ao uso de dose adequada, das características do corretivo e de sua correta aplicação. Portanto, garantir uma boa distribuição e boa incorporação na época certa é uma grande estratégia para aumentar sua produtividade.

A reação do calcário no solo é lenta, devido a sua baixa solubilidade, desta forma requer um certo planejamento quanto à sua aplicação.

As recomendações são que sejam aplicado pelo menos 3 meses antes da data de semeadura e que sejam incorporados ao solo para garantir sua reação.

Um fator importante sobre a reação desse calcário no solo é a umidade, sem umidade não há reação do calcário acarretando em uma reação ainda mais lenta do que a normal.

Quanto à aplicação, esse calcário é distribuído por toda a extensão do terreno e então deve ser incorporado com grade e arado a uma profundidade de pelo menos uns 20 cm.

Em solos argilosos, com o intuito de uniformidade na incorporação, recomenda-se aplicar metade da quantidade recomendada antes do arado e o restante depois dessa operação.

Já em solos arenosos, como são solos mais leves, permitem a aplicação da quantidade total de uma só vez, antes da gradagem.

Em condições de plantio em cova, recomenda-se prolongar o efeito residual da calagem, utilizando de calcários  de granulometria mais grossas.

E em sistemas de plantio direto? Quando já instalado, recomenda-se a aplicação superficial de calcários sem que haja incorporação. Ainda nessa situação é recomendado a aplicação de calcário no solo antes mesmo do pH abaixar do desejado, evitando acidez excessiva na região das raízes.

 

Como escolher o calcário

O calcário é qualificado por:

  • capacidade de neutralizar a acidez;
  • reatividade (natureza geológica e granulometria); e
  • teor de nutrientes (Ca e Mg).

Essas qualificações podem ditar seu preço. Por exemplo, calcários com maior teor de magnésio são normalmente mais caro assim como os de maior PRNT.

Quando for comprar deve-se levar em consideração a sua situação em se tratando de solo e qual desses calcários irá atender suas demandas baseando-se em suas especificação. 

Uma fórmula que pode ajudar nessa tomada de decisão é a seguinte:

Fórmula para Escolher o Calcário

Conclusão

Vimos aqui como a acidez pode comprometer negativamente o seu sucesso produtivo.

E para driblar isso, citamos a utilização de calcário no solo, um corretivo do solo que ainda disponibiliza nutrientes como o Ca e Mg.

Ainda citamos a importância de aplicar dosagens corretas  e de  forma correta com o intuito de aumentar a sua produtividade.

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Giuliana Duarte
Giuliana Rayane Barbosa Duarte
Sou Agrônoma e Mestranda em Fitotecnia pela Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente também trabalho como Técnica em Agropecuária na UFLA.
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.