Como prevenir e controlar as principais doenças no canavial

Publicado em 27/10/2020

Você sabia que até hoje foram identificadas nada mais do que 216 doenças no canavial? Destas, cerca de 58 já foram encontradas em canaviais brasileiros e pelo menos dez podem ser consideradas de grande importância econômica para a cultura em canaviais no país, segundo dados de estudos da Embrapa.

Neste cenário, a possibilidade de perder toda a produção faz com que produtores e usinas encarem um cenário desfavorável, tanto do ponto de vista agronômico, quanto econômico.

Por isso, é fundamental conhecer a importância da cultura da cana-de-açúcar para o agronegócio nacional, assim como entender quais são as principais doenças no canavial que todo produtor e usinas precisam ficar atentos.

Somente assim conseguimos combatê-las o quanto antes para evitar quedas na produção, aborrecimentos e transtornos futuros que podem ser capazes de acarretar em grandes prejuízos para a atividade.

 

Importância da cana-de-açúcar para o agronegócio nacional

A produção de cana-de-açúcar compõe um dos mais importantes setores da economia nacional, tendo nos estados de São Paulo e do Nordeste entre os maiores produtores do País, com aproximadamente 9.750,2 milhões de hectares.

Colheita de Cana-de-Açúcar

De acordo com estimativas realizadas pela CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), a safra 2020/21 deve apresentar uma redução na produção de cana-de-açúcar, em comparação com a safra anterior.

A expectativa é que sejam colhidos 642,1 milhões de toneladas, uma retração de 0,1% em relação à temporada anterior.

Porém, junto com toda essa produtividade, o produtor precisa ter a máxima preocupação para combater as principais doenças no canavial, mantendo sua lavoura sempre sadia e produtiva.

 

Entendendo as principais doenças no canavial

O conhecimento das principais doenças no canavial e o investimento em soluções que possibilitem um controle mais assertivo delas representa um conjunto de ações que precisa compor o manejo geral da fazenda.

Em função de muitos fatores, como novas variantes resistentes de doenças e mudanças climáticas, os canaviais podem passar por surtos epidêmicos, exigindo a correta identificação das novas doenças da cana para que seja mantida uma contínua vigilância dentro dos canaviais, nos níveis estadual e nacional.

Assim, entre as doenças mais incidem no canavial, o produtor precisa se atentar a:

  • Escaldadura-das-folhas;
  • Estria vermelha;
  • Raquitismo-da-soqueira;
  • Mosaico;
  • Amarelinho;
  • Ferrugem da cana;
  • Carvão da cana;
  • Mancha parda;
  • Podridão abacaxi;
  • Podridão de fusarium;
  • Podridão vermelha.

Como essas doenças são produto da interação patógeno-hospedeiro-ambiente, seus efeitos irão variar de um local para outro.

Além disso, as mais importantes doenças no canavial apresentam caráter sistêmico, portanto são facilmente disseminadas pelas plantas de cana usadas nos plantios.

Por isso, deveremos dar especial atenção no quesito qualidade das mudas, principalmente quando o produtor pretende expandir seus canaviais em um novo local ou região, pois poderá significar a introdução de uma doença em um ambiente extremamente favorável, aumentando a seriedade dos problemas.

 

Prevenção e controle das principais doenças no canavial

Independentemente do tamanho do canavial e da sua variedade, é essencial que o correto investimento em soluções de manejo seja adotado. Esse investimento impulsiona melhor controle de doenças em canaviais, sendo esse um dos principais cuidados que todo produtor deve ter.

Compreender o que caracteriza cada uma dessas ameaças é fator essencial para que todo produtor utilize as ferramentas certas e eficazes que irão evitar ou controlar o ataque de patógenos que comprometam a lavoura.

Canavial

Assim, algumas são as principais medidas de prevenção das doenças no canavial que podem ser adotadas pelo produtor:

  1. Uso de Variedades Resistentes ou Tolerantes

Em um primeiro momento a grande maioria das doenças no canavial tem como medida preventiva mais importante a utilização de variedades de cana resistentes ou tolerantes, associadas ao plantio de mudas sadias.

Esse é o caso de controle para as seguintes doenças:

  • Mosaico;
  • Escaldura-das-folhas;
  • Carvão da cana;
  • Ferrugem da cana;
  • Amarelinho;
  • Estrias vermelhas;
  • Mancha oculas;
  • Podridão vermelha.

Especificamente para a Ferrugem da Cana, o uso de variedades resistentes é sem dúvida o método mais eficiente e viável para o controle da doença, tanto que quase todos os programas de melhoramentos de variedades de cana possuem como preocupação que suas variedades melhoradas sejam resistentes à ferrugem.

  1. Adoção do Roguing

A manutenção do mais alto nível de sanidade nos viveiros representa uma condição básica para que as mudas tenham a qualidade desejada.

Dessa forma, uma vigilância constante nos viveiros é necessária para evitar que doenças possam comprometer a produção de mudas e, consequentemente, a produtividade da lavoura.

Assim, outra estratégia para prevenção da disseminação nas doenças no canavial é a adoção do roguing. Essa medida é baseada na erradicação de touceiras doentes, sendo normalmente executada durante a formação dos viveiros de mudas.

Esse manejo pode ser feito com enchadão ou uso de herbicidas, eliminando-se a touceira toda.

O roguing pode ser a estratégia adotada para o controle das seguintes doenças:

  • Mosaico;
  • Carvão da cana;
  • Escaldura das folhas;
  • Raquitismo da soqueira.
  1. Desinfecção de Máquinas e Implementos

Essa é uma estratégia que tem relação direta com as boas práticas de manejo. Máquinas e implementos agrícolas, ao mudar de uma área para outra, podem ser grandes fontes de contaminação de todo tipo de doenças.

Por isso, a desinfecção destes equipamentos tem por função evitar o transporte de praticamente todas as doenças de uma área infectada para outra ainda limpa.

O mesmo pode acontecer para evitar a proliferação das principais pragas da cana-de-açúcar.

Essa estratégia de controle se baseia nas desinfecções de facões, maquinas e implementos com amônia quaternária e deve ser feita antes de passar o trabalho de uma área para outra, e mesmo dentro das áreas, o mais frequente possível.

  1. Proteção Química de Mudas e Toletes

Por fim, o tratamento químico é mais uma estratégia de manejo que pode ser adotada pelo produtor para controlar algumas das doenças no canavial.

Diversos estudos comprovam que o tratamento químico de mudas e de toletes com fungicidas é bastante positivo, desde que as dosagens indicadas, seu intervalo e a segurança do operador sejam seguidas.

As principais doenças que podem ser controladas pela ação química são:

  • Podridão do abacaxi: imersão dos toletes a uma solução fungicida por 10 a 15 minuto;
  • Carvão da cana: via tratamento químico das mudas com fungicidas.

 

Gestão do canavial: Essencial para melhor prevenção e controle de doenças da cana

A possibilidade de perder praticamente toda a produção em razão do descontrole de alguma doença é um problema que nenhum produtor quer passar. Por isso, seguir as recomendações acima apresentadas é essencial.

Mas, além disso, é fundamental que o produtor tenha uma gestão bastante alinhada do seu canavial, com todos os custos e informações sobre variedades, doenças e produtos químicos utilizados na área.

Para conseguir isso, a melhor opção é adotar um software que permita melhor gestão da atividade canavieira como um todo. E um dos melhores softwares do mercado é o CHBAGRO.

Com o CHBAGRO o produtor poderá fazer um completo gerenciamento do seu canavial. Ele permite uma apuração completa de custos da área, seja por fazenda e talhão, dia, mês e safra.

CHBAGRO - O único software completo para produtores rurais do Brasil.

Baseado em mais de 70.000 programas e dados de mais de 600 fazendas presentes em todo Brasil, o CHBAGRO conecta as áreas operacional e administrativa de uma fazenda canavieira, permitindo um controle financeiro muito mais eficiente.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

O CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Diego Cruz
Diego Cruz
Sou Zootecnista (FZEA/USP) e mestre em produção animal sustentável pelo Instituto de Zootecnia. Atualmente sou produtor de conteúdo para a internet.

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.