Manejo do solo sob cana-de-açúcar: como evitar pragas e doenças

Publicado em 23/03/2021

Preencha o formulário abaixo para baixar o pdf

Pode parecer que o manejo do solo só auxilia as plantas a crescerem, mas ele também exerce grande influência no controle de pragas e doenças que atacam a cana-de-açúcar.

Essas pragas e doenças causam sérios prejuízos para o produtor quando presentes acima do nível de dano econômico, podendo até levar ao comprometimento de safras futuras.

Consequentemente, o manejo correto adotado na propriedade é de suma importância para uma colheita abundante. Com o solo não é diferente.

Manejo do Solo na Cana-de-Açúcar

Se manejado de forma incorreta, o solo pode ser fonte de pragas e doenças às plantas e causar sérios prejuízos. Portanto, o manejo do solo adequado é imprescindível para auxiliar o controle dessas infestações.

Para isso, é preciso conhecer as principais pragas e doenças que podem atacar a cultura da cana-de-açúcar, principalmente as que estão presentes no solo, para assim, adotar o melhor manejo e manter a sanidade da lavoura.


Índice de Conteúdo (clique e vá direto ao assunto que procura)


O solo e as pragas e doenças

Vários fatores interligados influenciam no crescimento e desenvolvimento das plantas nos cultivos agrícolas e são capazes de comprometer o seu potencial produtivo. Um desses fatores é o ataque de pragas e doenças.

O solo é o ambiente de crescimento das plantas. É dele que as plantas retiram água, nutrientes e suporte físico para o seu crescimento e desenvolvimento. Além das plantas, o solo também é o habitat para inúmeros organismos.

Sabendo que nem todos os organismos causam danos às plantas, é indispensável identificar os que possivelmente podem causar danos econômicos para o produtor: as pragas e doenças de solo.

Para isso, se faz necessário o monitoramento da lavoura para diagnose e avaliação da população de pragas e doenças.

As pragas e doenças de solo podem ser classificadas em dois principais grupos:

  1. Pragas de solo: são os insetos/nematoides que danificam as plantas;
  2. Doenças causadas por fungos, bactérias e vírus: microrganismos que parasitam as plantas para sobreviverem.

 

Pragas e doenças de solo na cultura da cana-de-açúcar

As pragas de solo que atacam a cana-de-açúcar são:

  • Besouros da espécie Migdolus sp.;
  • Broca da cana-de-açúcar (Diatraea saccharalis);
  • Corós (também são chamados de bicho bolo ou pão-de-galinha);
  • Cupins;
  • Cigarrinha-das-raízes (Mahanarva fimbriolata);
  • Gorgulho da cana-de-açúcar.

Essas pragas podem ocasionar sérios problemas no rendimento da cultura atacando principalmente as raízes e colmo.

A Podridão Vermelha é uma doença de solo que ataca a cana-de-açúcar e é causada pelos fungos Colletotrichum falcatum e Fusarium moniliforme. Ela ocorre simultaneamente com o ataque da broca pois o fungo penetra no orifício aberto pela lagarta.

 

Manutenção da palhada da cana-de-açúcar na colheita mecanizada

O efeito da deposição da palhada no solo no momento da colheita da cana é semelhante a adoção do plantio direto.

Palhada da Cana

Esses efeitos são:

  • Redução da erosão;
  • Aumento no teor de água e de matéria orgânica;
  • Redução da amplitude térmica do solo.

A substituição da queima da palhada da cana-de-açúcar pela deposição no solo favorece a presença de organismos além de manter a qualidade do ar e dos solos.

 

Você sabe como o manejo do solo influencia na incidência de pragas e doenças?

Quando se inicia um cultivo sob uma vegetação nativa, por exemplo, o teor de matéria orgânica diminui e isso ocorre devido a duas razões principais: aumento na decomposição da matéria orgânica e alteração no ambiente e habitat de microrganismos.

O manejo do solo pode influenciar/modificar nas seguintes características importantes a saber:

  • Umidade;
  • Aeração;
  • Temperatura;
  • Matéria orgânica;
  • Barreiras físicas para desenvolvimento radicular.

Diante disso, é importante destacar que o uso intensivo tem levado a redução da biodiversidade do solo e, dependendo do tipo e intensidade do manejo adotado, pode haver aumento ou diminuição da diversidade de organismos no solo.

O manejo do solo incorreto da área de cultivo pode fazer dela um vetor de pragas e doenças e comprometer produtividades futuras.

Solos cultivados em condições inadequadas, compactados, mal drenados, com baixo teor de nutrientes e baixa atividade microbiana possuem mais probabilidade de ataques de pragas e doenças.

 

Estratégias de manejo do solo para evitar a presença de pragas e doenças na cana-de-açúcar

Tanto o manejo da cana-planta quanto o da cana-soca compõe uma série de atividades que devem ser executadas conforme orientações técnicas de modo a garantir o bom perfilhamento, sanidade da lavoura, aumento no número de cortes e elevadas produtividades.

Assim, o controle de pragas e doenças na lavoura baseia-se na utilização dos conhecimentos ecológicos e biológicos das pragas e emprego de práticas culturais.

Doenças no Solo na Cana-de-Açúcar

Como regra geral, seu controle deve ocorrer preferencialmente por ocasião do preparo da lavoura no plantio ou renovação do canavial.

As práticas adotadas mais comuns são:

  • Plantio de mudas e toletes resistentes e tolerantes e com boa sanidade;
  • Remoção de plantas infectadas e daninhas;
  • Máquinas e implementos livres de patógenos;
  • Rotação de culturas: a rotação de cultura gera diversidade de espécies no sistema e um equilíbrio natural dos organismos presentes no local. A rotação de culturas, incluído espécies leguminosas e gramíneas, constituem uma alterativa para garantir a biofuncionalidade do solo;
  • Época de plantio e colheita: adequar a época de plantio e colheita com as condições edafoclimáticas de cada região de cultivo;
  • Calagem e adubação: a correção do solo e disponibilidade de nutrientes geram plantas mais sadias e resistentes ao ataque de pragas e doenças;
  • Irrigação: a disponibilidade hídrica para as plantas é essencial para as plantas, porém, o excesso de água pode criar um ambiente favorável ao desenvolvimento de fungos e bactérias;
  • Conservação da matéria orgânica no solo: essa prática inclui a redução do preparo do solo, a aplicação de adubos orgânicos para aumento de carbono ao solo;
  • Manejo integrado de pragas (MIP): a adoção do MIP através da adoção racional do uso de pesticidas, promove o equilíbrio do sistema.

É importante estar atento às características físicas e químicas do solo para manter o equilíbrio do sistema.

 

Conclusão 

A presença de pragas e doenças no canavial comprometem a produtividade, qualidade final do produto e lucro do produtor.

Por isso, é imprescindível o monitoramento da lavoura a fim de identificar a presença e o nível de dano econômico de pragas para assim adotar o manejo adequado.

O manejo do solo é uma etapa muito importante no controle de pragas e doenças, pois se não houver o devido cuidado, essa área de plantio pode se tornar um vetor capaz de contaminar toda a plantação.

Com as informações deste artigo, é possível ter uma base para adoção do manejo correto do solo para evitar erros e incidência de pragas e doenças na cultura da cana.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Tamires Teles de Souza
Tamires Teles de Souza
Sou Engenheira Agrônoma formada pelo IFSULDEMINAS – campus Inconfidentes, Mestre em Ciências pela ESALQ/USP e doutoranda em Solos e Nutrição de Plantas pela ESALQ/USP.
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.