Matéria Orgânica do Solo e sua importância para a fazenda

Publicado em 07/07/2020

A matéria orgânica promove alterações nas propriedades do solo, podendo tornar a nutrição das plantas mais eficiente, embasada em um tipo de agricultura que visa a utilização de recursos naturais.

A matéria orgânica provém, em quase sua totalidade, dos organismos vegetais.

A fração orgânica do solo constitui um sistema muito complexo e importante para a sustentabilidade do agroecossistema.

Técnicas de manejo que visam manter ou elevar o teor de matéria orgânica do solo trazem muitos benefícios, como vamos ver nesse texto. Confira!

Manejo da Matéria Orgânica do Solo

Importância da Matéria Orgânica

A necessidade de aumentar a produção de alimentos para garantir a segurança alimentar e nutricional da população mundial é um dos maiores desafios para o mundo agro, pois, além de aumentar a quantidade, a qualidade dos alimentos deve ser melhorada, visando também a conservação da água e do solo.

A busca por sistemas sustentáveis e produtivos pode ocorrer através do manejo adequado dos recursos naturais.

Práticas adequadas de manejo do solo podem interferir no teor de matéria orgânica do solo.

Na natureza, a quantidade de matéria orgânica depende das condições edafoclimáticas, no entanto, o sistema pode ser alterado pelo manejo adotado, tornando esse atributo um indicativo da qualidade do solo.

A matéria orgânica exerce um papel fundamental no aumento da capacidade de troca catiônica (CTC), ciclagem de nutrientes, atividade biológica, agregação do solo e sequestro de carbono e nitrogênio.

Algumas práticas utilizadas no manejo de pastagens, soja, milho e cana-de-açúcar têm proporcionado aumento nos níveis de matéria orgânica do solo.

Entre elas estão o plantio direto, a rotação de culturas, utilização de resíduos orgânicos, por meio de plantas de cobertura, utilização de dejetos animais, compostagem e resíduos industriais, que apresentam grande potencial para aporte de matéria orgânica no solo.

É necessário que se entenda o comportamento das práticas de manejo em diferentes situações.

Um dos maiores desafios em relação à dinâmica da matéria orgânica está relacionado à taxa de mineralização dos resíduos.

As condições edafoclimáticas do Brasil contribuem para aceleração do processo de decomposição, o que reduz o acúmulo da fração orgânica do solo.

Quando os resíduos permanecem na superfície dos solos, os processos de transformação tendem a ser mais lentos, porém, se ocorre incorporação através do uso de implementos como arado e grade, há um aumento da superfície de contato com a fração mineral do solo, fazendo com que a ação dos microrganismos decompositores seja maior, acelerando sua taxa de mineralização.

 

Influência da Matéria Orgânica Nas Propriedades do Solo

A matéria orgânica interfere nos atributos físicos, químicos e biológicos do solo.

No processo de transformação da matéria orgânica, ocorre liberação de nutrientes e aumento da diversidade biológica.

Além disso, há liberação de polissacarídeos que atuam como agentes cimentantes entre as partículas do solo, condicionando a agregação.

Dentre as diversas propriedades que envolvem a matéria orgânica, estão a adsorção e liberação de nutrientes.

Nesse sentido, a matéria orgânica pode ser considerada uma aliada no aumento da eficiência produtiva nos sistemas de produção, sendo uma potencial fonte de nutrientes para as culturas, principalmente nitrogênio, fósforo, enxofre e boro.

 

Resíduos Orgânicos Utilizados na Agricultura

Os resíduos decorrentes de atividades agroindustriais de origem vegetal, destaque para os subprodutos oriundos da cana-de-açúcar, sendo a torta de filtro e a vinhaça os mais empregados na agricultura.

Entre os resíduos advindos da criação de animais destacam-se os dejetos oriundos da suinocultura, avicultura e bovinocultura.

O sistema de plantio direto para a produção de grãos, o uso de plantas de cobertura como adubação verde e cobertura morta são as principais práticas para incrementar os níveis de matéria orgânica do solo no cerrado.

Matéria Orgânica do Solo

Alterações na Acidez dos Solos Com Uso de Resíduos Orgânicos

Alguns estudos relatam que, mesmo apresentando acidez potencial, solos sob sistema de plantio direto não necessitam de calagem como as áreas sem o uso de resíduos orgânicos.

Isso se deve pela formação de compostos organometálicos através dos ácidos orgânicos, que liberam OH-, imobilizando H+ e Al+3 e mobilizando cátions como Ca+2, Mg+2 e K+.

O uso de palhadas de milheto e braquiária, em áreas cultivadas sobre soja, em plantio direto, facilitam a formação de uma frente de alcalinização à medida que as doses de calcário aumentam, com reflexo na produtividade da cultura.

Embora alguns resíduos orgânicos de natureza alcalina, como a torta de filtro, também demonstrarem efeitos sobre a acidez, neutralizando o alumínio tóxico, não suprem a necessidade de nutrientes das culturas, sendo necessário o uso de fertilizantes.

 

Influência da Matéria Orgânica na Dinâmica do Nitrogênio

O manejo do N em sistemas agrícolas é complexo, pois o comportamento desse nutriente está associado a diversos processos de perdas.

No entanto, algumas práticas de manejo podem potencializar o aproveitamento de N.

A preservação da palhada sob a superfície do solo contribui para a redução das perdas pelo solo, além de ser uma fonte de nitrogênio, possibilitando, em alguns casos, a redução da quantidade de fertilizante nitrogenado a ser aplicado.

Quanto ao aspecto biológico, os microrganismos regulam o processo de mineralização do N a partir dos resíduos orgânicos, quando em condições favoráveis.

Dessa forma, existe um fornecimento de N ao longo do tempo, condicionando um efeito residual para cultivos subsequentes.

 

Influência da Matéria Orgânica na Dinâmica do Fósforo e Potássio

A matéria orgânica reduz a adsorção do potássio (P) ao solo. Quando ocorre a adsorção, o P fica indisponível para as plantas, além da sua liberação a partir da decomposição dos resíduos, podendo haver uma economia no uso de fertilizantes fosfatados.

A dinâmica do potássio está associada a poucos processos de perda, além da lixiviação.

De modo geral, a matéria orgânica pode suprir uma parcela da demanda de cálcio (K) das plantas, devido sua rápida liberação a partir da decomposição dos resíduos orgânicos.

A liberação de K é previsível pela sua capacidade de não estabelecer ligações estáveis com complexos orgânicos nos vegetais.

 

Conclusão

A agricultura se tornou mais complexa, aumentando o desafio de produzir conservando e mantendo a qualidade dos recursos naturais.

Dito isso, o conhecimento da fase orgânica do solo torna-se estratégico, essencial na busca de uma agricultura sustentável.

Das práticas de manejo que interferem na matéria orgânica do solo, destaca-se o uso de resíduos vegetais através de plantas de cobertura e/ou adubos verdes.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Fábio Barros
Fábio Barros
Sou Engenheiro Agrônomo pela UNESP (FCA-Botucatu).
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.