Perdas na colheita de cana: Você sabe como reduzi-las?

Publicado em 10/03/2020

Você sabia que o Brasil vem, safra após safra, tendo recordes de colheita de cana? Na safra 2018/19, por exemplo o país colheu cerca de 620 milhões de toneladas, mantendo sua liderança mundial da produção de cana-de-açúcar.

Porém, mesmo com esse elevado nível de produção, as perdas na colheita de cana são muito altas no país, a ponto de comprometer a produtividade do negócio.

Segundo avaliação da SOCICANA as perdas durante a colheita, essencialmente quando realizada de maneira mecânica, chegam a até 15% da produção. Certamente essa perda representa um prejuízo enorme para o agricultor, que precisa ponderar estratégias para reduzir isso.

Veja neste artigo algumas estratégias que irão ajudar o agricultor a otimizar todo o processo de colheita a ponto de conquistar melhores resultados. Confira a seguir!

 

Colheita manual para colheita mecanizada: O que mudou?

Particularmente nas duas últimas décadas, os sistemas destinados à colheita de cana passaram por mudanças bastante intensas. Passamos, por exemplo, da colheita manual (corte manual) para a colheita totalmente mecanizada, inclusive com o impedimento da queima da cana em muitas regiões.

Reduzir as perdas na colheita de cana

Essa mudança contribui na busca por um sistema mais sustentável, tanto do ponto de vista econômico, quanto ambiental. Esse sistema é mais barato e não há mais a necessidade de queima (com a colheita de cana crua), possibilitando também deixar a palha no sistema.

Entretanto, mesmo com os significativos avanços em tecnologia que melhoram o processo de colheita de cana, ainda é possível observar muitas perdas e os números provam isso:

Um estudo da CTBE (Divisão Agrícola do Laboratório Nacional de Ciência e Tecnologia do Bioetanol) indicou que a perda na colheita seria suficiente para a aquisição nove usinas de etanol com capacidade de moagem de 2,5 milhões de toneladas por safra.

O trecho do infográfico abaixo, elaborado pela novaCana.com, representa bem essa relação:

Perdas na Colheita
O cálculo foi realizado utilizando como base um valor de transação de US$ 60 por tonelada de capacidade e um câmbio de R$ 3,33. Na cotação atual a perda seria ainda maior.

Além da perda financeira, falhas na colheita em virtude da mecanização ainda provocam:

  • Excessiva compactação do solo causada pelo tráfego constante das máquinas;
  • Consumo excessivo de mudas;
  • Elevados índices de perdas nos canaviais;
  • Inaptidão das colhedoras para trabalhar em canaviais que tenham cana tombada;
  • Excessivas perdas invisíveis, representadas pela quantidade de matéria-prima extraviada na forma de caldo, serragem e pequenos estilhaços

Por questões de legislação e ambientais, o uso da mecanização na colheita de cana é um caminho sem volta, com o produtor tendo que se acostumar! Mas, mesmo assim é possível pensar em estratégias para reduzir as perdas e melhorar a produtividade.

Veremos algumas destas estratégias no tópico a seguir.

 

Estratégias para otimizar a colheita de cana, reduzindo o desperdício

Várias são as estratégias e recomendações que o produtor pode considerar para otimizar seu processo de colheita, reduzindo as perdas e consequentemente aumentando a produtividade. As indicações mais importantes são: 

1. Planejamento: Pensar em cada detalhe do plantio à colheita

Em qualquer cultura agrícola, caso da cana-de-açúcar, o planejamento da colheita deve começar antes mesmo do plantio e prosseguir em todas as etapas seguintes, até chegar à colheita propriamente dita.

Assim, é importante considerar fatores como:

  • Escolha da área de plantio;
  • Definição da época de plantio;
  • Atenção às diversas necessidades da cultura, como disponibilidade de água, temperaturas, radiação solar;
  • Controle de pragas, doenças e ervas daninhas;
  • Planejamento da colheita, que deve ocorrer de forma escalonada, não sobrecarregando apenas poucas semanas para a colheita.

Além de todo esse planejamento agronômico, é preciso também ter atenção especial com a questão administrativa, de manutenção do maquinário e climática, deixando tudo muito bem alinhado para o momento da colheita. 

2. Faça a colheita no momento exato

Especialistas no setor indicam que o momento ideal para iniciar a colheita de cana é quando ela atinge a sua maturação, caracterizada como um processo fisiológico que envolve a formação de açúcares nas folhas e seu deslocamento e armazenamento nos colmos.  

Mas como definir o momento exato para a colheita de cana? Há algum método?

A resposta é sim. Hoje em dia já existem muitas maneiras de refinar o momento exato da colheita da cana-de-açúcar.

Existe um método que faz a avaliação da maturidade da planta em relação à quantidade de açúcares presente no colmo da cana-de-açúcar. Neste caso usa-se um refratômetro de campo, que faz a leitura do valor de graus Brix do colmo.

Para a determinação do Brix, deve ser feita uma média dos resultados obtidos de 3 partes do colmo (base, meio e ponta), com a colheita devendo ocorrer quando essa média for maior que 18.

Feita a leitura, procede-se com a determinação do índice de maturação, onde o Brix do topo deve ser dividido pelo Brix da base vezes 100.

Indíce de Maturação (IM) = Brix do topo do colmo/brix da base do colmo*100

Neste caso, a colheita deve ocorrer quando o IM for próximo a 1. 

3. Busque a máxima eficiência na colheita mecanizada

Quando realizado com qualidade, a adoção da colheita mecanizada de cana irá assegurar melhor aproveitamento da lavoura, com menores índices de danos e abalos às soqueiras. Isso proporcionará condições agronômicas propícias para haver a rebrota do canavial sem a diminuição da produtividade nas safras futuras.

Neste sentido, é aconselhável investir na implementação da gestão de qualidade e na tecnologia. Assim, voltamos novamente à importância do planejamento estratégico. Quando mal planejado — ou até sem planejamento algum —, certamente os custos serão elevadíssimos e os ganhos serão reduzidos.

Além disso, durante a colheita, também é importante prestar atenção na velocidade utilizada pela colhedora, onde velocidades acima das recomendadas pelo fabricante podem causar prejuízos, comprometendo a qualidade da colheita.

Também é importante deixar a manutenção das máquinas em dia para iniciar a colheita, além de treinar a mão de obra e ter peças de reposição para eventuais quebras ou perda de rendimento.

Por fim, ainda sobre a busca pela máxima eficiência, o uso de boas colhedoras é essencial, portanto, esteja sempre atento ao mercado em busca de novidades, caso das colhedoras de 2 linhas de 1,5 m e dos sistemas automáticos de ajuste de altura do corte de base. 

4. Tenha total controle do tráfego das máquinas durante a colheita

Como já citado neste artigo, a excessiva compactação do solo observada após a colheita é um dos grandes problemas da mecanização da colheita de cana. Isso ocorre em razão do intenso trânsito de máquinas que ocorre nesse período.

Para contornar esse problema, o controle do tráfego dentro da área é primordial, como vemos no gráfico a seguir:

Controle do Tráfego na Cana

Além disso, as seguintes estratégias podem ser adotadas nesse sentido:

  • Tenha um controle para que as rodas da máquina passem sempre no mesmo lugar no momento da colheita e nunca sobre a linha de cana;
  • Faça a colheita na época mais adequada, inclusive ponderando os efeitos do clima;
  • Utilize mão de obra especializada para a colheita de cana mecanizada;
  • Use variedades de cana-de-açúcar que sejam adequadas à mecanização;
  • No planejamento do plantio, busque adequar o espaçamento da cana-de-açúcar com o maquinário a ser utilizado, fazendo com que o trânsito ocorra sempre nas entrelinhas;
  • Invista no uso de piloto automático ou GPS para auxiliar no controle do tráfego das máquinas.

 

Conclusão

Vimos que o Brasil é um excelente produtor de cana à nível mundial, entretanto, mesmo diante da mecanização, as perdas da colheita de cana ainda costumam trazer grandes prejuízos ao produtor.

Para reduzir essas perdas, o produtor precisa adotar algumas estratégias capazes de melhorar e otimizar todo o processo de colheita. Entre esses processos englobam melhora no planejamento do plantio à colheita, definição do momento ideal da colheita e estratégias para melhor uso das colhedoras de cana.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Diego Cruz
Diego Cruz
Sou Zootecnista (FZEA/USP) e mestre em produção animal sustentável pelo Instituto de Zootecnia. Atualmente sou produtor de conteúdo para a internet.

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.