Plantadeira de Milho. Saiba como acertar na compra.

Publicado em 30/03/2020

O plantio mecanizado de milho exige atenção sobre vários fatores que, inclusive, podem interferir na produtividade e nos lucros.  Entre eles está o uso da plantadeira de milho. Atualmente, existem disponíveis no mercado diversos sistemas de distribuição de sementes, marcas e modelos.

Abaixo iremos falar sobre as melhores plantadeiras do mercado e suas principais funções, além de outras dicas para você não errar na hora da compra.

 

Semeadora, semeadeira ou plantadeira?

Semeadeira e plantadeira são dois termos comumente usados para diferenciar dois tipos de máquina para semeadura. Com o tempo, houve a necessidade de padronizar os termos usados para designar as máquinas agrícolas e, em 2011, foi organizado um fórum de discussão da área de Máquinas e Mecanização agrícola sob o tema “Terminologia de Máquinas Agrícolas, inserido na programação do Congresso Brasileiro de Engenharia Agrícola (CONBEA). O resultado dessa discussão foi um documento  com termos para serem utilizados como padronização para a área agrícola, principalmente em publicações técnico-científicas. 

Portanto, as máquinas agrícolas foram divididas em três categorias, de acordo com sua função:

Semeadora

Realiza a introdução no solo de sementes pequenas. Os termos “semeadeira” e “plantadeira” se tratam da mesma máquina, a semeadora, pois, ambas distribuem sementes.

Plantadeira de Milho

Plantadora

Realiza a operação de plantio de culturas ou sementes graúdas.

Transplantadora

Realiza a operação de transplantio, ou seja, introdução no solo de plantas no estágio inicial (mudas).

As semeadoras também podem ser divididas de acordo com a forma de distribuição, que podem ser:

  • Fluxo contínuo, dosando as sementes miúdas continuamente nos sulcos;
  • Precisão, dosadas uma a uma em espaços regulares, que são as mais utilizadas no plantio de milho.

Deste modo, associando o nome técnico com o popular, concluímos que as “semeadeiras” são as semeadoras de fluxo contínuo e as “plantadeiras” são as semeadoras de precisão.

 

Quais as principais funções de uma plantadeira de milho?

Basicamente, as funções básicas de uma plantadeira de milho são adensar o solo ao redor das sementes, realizar o seu armazenamento, distribuir e cobrir corretamente a semente no terreno, preparar o leito de semeadura e promover a liberação controlada das sementes.

Para que a plantadeira possa realizar essas funções, é necessário que ela possua sulcadores, controladores de profundidade, cobridores de sulco, reservatório e tubos condutores de sementes, marcadores de linha e rodados. Além disso, precisa de mecanismos específicos como dosadores de sementes e de adubo (se houver), disco de corte de palha (no caso das plantadeiras de plantio direto), compactação e transmissão.

 

Tipos de plantadeira de milho para plantio direto

Existem três tipos de máquinas de plantio direto: enxada rotativa, discos e facas:

Plantadeira com enxada rotativa

Realiza uma boa distribuição em faixa, além  de ser bastante resistente. Para as culturas de milho, a semente é lançada rente ao solo, atrás das lâminas. No entanto, apresenta algumas desvantagens, como a necessidade de tratores de alta potência. Em solos abrasivos, as lâminas se desgastam rapidamente e, no caso de solos ondulados, o trabalho de distribuição é mais difícil. Outro ponto negativo é o rendimento consideravelmente baixo.

Plantadeira com discos

A maioria dos equipamentos com sistema de disco disponíveis no mercado são de arrasto. Consequentemente, a penetração no solo é feita de maneira individual por conta dos discos de corte serem montados na barra porta-ferramenta que acompanham as pequenas ondulações do terreno. O sistema de disco utiliza tratores de menor potência e o seu sucesso depende do quanto o solo está úmido no momento do plantio.

Plantadeira com facas

É o sistema mais simples e barato que existe, sendo utilizado em plantadeiras convencionais para plantio direto. Nesse sistema, existem dificuldades como movimentação excessiva do solo, alto consumo de combustível, maior formação de torrões (principalmente em condições mais secas), má colocação de sementes, problemas de funcionamento com herbicida residual e também com o embuchamento, onde há muita palha.

Vale ressaltar que algumas modificações na plantadeira de milho convencional já elimina boa parte desses problemas. No caso das áreas de plantio direto de milho, deve-se empregar plantadeiras com sulcadores (facão), para eliminar compactações na linha e colocar o adubo em maior profundidade.

 

Velocidade de plantio

Uma das características menos consideradas na ocasião da compra de uma plantadeira de milho é a velocidade de plantio, que sempre deve estar dentro dos limites recomendados. A velocidade varia conforme o sistema de distribuição. Para plantadeiras de disco, as mais comuns no Brasil, a velocidade deve variar de 4 km/h a 6 km/h. Já nas plantadeiras a vácuo, a velocidade, que garante uma boa operação de plantio, pode chegar até 10 km/h, dependendo das condições da topografia do terreno, umidade e textura do solo.

Veja na tabela abaixo o efeito da velocidade na produtividade do milho.

Tabela Plantadeira de Milho

Fonte: Embrapa – adaptado de Pioneer Sementes


Dicas para escolher sua plantadeira de milho

Uma das dúvidas mais comuns na hora da compra de uma plantadeira de milho é como escolher a máquina ideal. A escolha certeira irá depender da sua necessidade. Confira abaixo algumas dicas para acertar na hora da compra:

  • Escolha um modelo que caiba no seu bolso. Não se esqueça que os equipamentos devem passar por manutenção constante e, caso ocorra uma quebra ou mesmo um defeito de equipamento durante a operação, é necessário ter dinheiro em caixa para providenciar o rápido concerto, ou mesmo a troca, da plantadeira;
  • Hoje em dia existem bons programas de financiamento de máquinas agrícolas, o que facilita a compra de equipamentos novos. Mas nada impede a aquisição de uma plantadeira usada. Apenas se atente aos índices da máquina para tomar essa decisão;
  • Não deixe de calcular os dias uteis dentro da janela de plantio e da área a ser semeada;
  • Fique atento as condições e termos de pagamento, assim como ao estado de conservação e ao suporte oferecido pelo revendedor; 
  • Tenha um estoque das principais peças da plantadeira de milho, para troca imediata, sempre que necessário e sem depender da disponibilidade de atendimento do revendedor;
  • Escolha modelos fáceis de serem operados e regulados. Uma máquina menor e bem regulada pode realizar um melhor trabalho do que uma plantadeira maior e mal regulada.

 

Conclusão

Existe uma infinidade de modelos de plantadeira de milho presentes no mercado. Cada produtor deve avaliar a sua real necessidade e qual máquina irá atende-lo da melhor maneira possível. As plantadeiras grandes, que ficam encostadas em um canto, devem ser evitadas. O mesmo pensamento vale para as máquinas pequenas, que possuam baixos rendimentos operacionais.

Vale ressaltar que, com áreas cada dia mais extensas e janelas de plantio mais curtas, a escolha da plantadeira é primordial para a competitividade no mercado.

 

---

Saiba mais sobre o único Software Agrícola completo do Brasil!

Fale com analista CHBAGRO

CHBAGRO já atende 600 fazendas em todo país.

Se preferir, envie um e-mail para contato@chbagro.com.br ou ligue 16) 3713.0200.

 

Sandra Mastrogiacomo
Sandra Mastrogiacomo
Sou jornalista, especializada em marketing digital e trabalho há¡ 11 anos na editoria de Agronegócio.
Linkedin

Artigos Relacionados

VOLTAR

Ao clicar no botão “aceito”, o titular dos dados dará permissão para a captação e tratamento de seus dados para que o controlador dos dados os utilize de maneira a atingir suas pretensões pessoais, balizadas pela lei 13.709/18. Cumpre informar que ao clicar em “aceito” o titular dos dados concorda integralmente com a política de privacidade da empresa, disponível em: Política de Privacidade.